“Dia de Finados” marca o fim da retirada dos vagões em Iperó

08:34 Radio Ideal FM 0 Comentarios


A morte das ferrovias no Brasil. No último sábado, "Dia de Finados", a data simbólica marcou o fim de mais um capítulo da história relacionada à retirada dos vagões do pátio ferroviário de Iperó. Durante a manhã, funcionários da ALL formaram uma composição com os últimos vagões que se encontravam no pátio da cidade e seguiram rumo a Sorocaba. Cerca de cinco vagões foram cedidos à equipe de restauro, que já realizou diversos trabalhos na cidade, dentre os quais a restauração dos prédios do "pernoite", "armazém" e "estação". 
 
Última composição retirando vagões - novembro de 2013
(Hugo Augusto Rodrigues)
 
A maior parte dos vagões retirados do pátio iperoense foram levados para Sorocaba, Botucatu, Presidente Prudente e interior do Paraná, situação que aumenta os cemitérios de trens existentes nesses locais. Ao simplesmente transferir o problema para essas outras regiões, a ALL mostra que não está preocupada em apresentar a solução definitiva para frear o processo de abandono e destruição dos pátios, imóveis, equipamentos e leito da ferrovia sob a responsabilidade dela.
 
Última composição retirando vagões - novembro de 2013
(Hugo Augusto Rodrigues)
 
Em Iperó, mais de 340 vagões foram retirados do pátio e área da antiga “oficina de soldagem de trilhos” nos últimos dois meses. São trens que pertencem à União e estão sob o responsabilidade da ALL devido ao contrato de concessão em vigor. A empresa tenta revalidar um acordo assinado com o DNIT, onde propõe a substituição de cada três vagões sucateados por um novo. O Ministério Público Federal revogou o acordo após diversas denúncias de irregularidades e, segundo a empresa, esse era o motivo do abandono dos vagões em Iperó.
 
Funcionários da ALL retiram os últimos vagões do pátio - novembro de 2013
(Hugo Augusto Rodrigues)
 
Com a autorização judicial para que a Prefeitura de Iperó iniciasse o corte dos vagões, a ALL iniciou a retirada do material que estava abandonado na cidade há mais de 15 anos. A primeira fase do projeto, envolvendo a limpeza do pátio, está concluída. Falta agora a retirada de 38 vagões que foram estacionados na região de Bacaetava, o que deve acontecer até o fim desta semana.
 
Vagões estacionados na região de Bacaetava - novembro de 2013
(Hugo Augusto Rodrigues)
 
A segunda fase do projeto envolve um litígio tributário originado por 2 multas emitidas pela Prefeitura de Iperó à ALL, com base na “Lei Cidade Limpa”, cujos valores podem chegar a R$ 7 milhões. É uma nova demanda judicial que se inicia.
 
Vagões estacionados na região de Bacaetava - novembro de 2013
(Hugo Augusto Rodrigues)
 
A terceira fase é a ação popular movida contra a ALL, onde já há uma liminar que impede a empresa de trazer qualquer tipo de sucata para a cidade, sob pena de multa diária de R$ 30 mil. A ação pede ainda a condenação da ALL por danos morais coletivos, no montante de R$ 23 milhões.
Posteriormente, toda a área do entorno da estação será revitalizada e contará com diversas atividades. A ideia é fazer com que população volte a frequentar o local que já foi um dos mais movimentados da cidade durante várias décadas.

Próximo a Bacaetava, cena que lembra um "trem fantasma" - novembro de 2013
(Hugo Augusto Rodrigues)
 
Completo abandono do leito ferroviário na região de Bacaetava - novembro de 2013
(Hugo Augusto Rodrigues)

0 comentários:

Obrigado pelo seu Comentario, seja bem vindo !

Postagem mais recente Página inicial Postagem mais antiga