Mau Policial acaba na Cadeia

00:51 Radio Ideal FM 0 Comentarios



MAU POLICIAL

Na tarde de ontem, o promotor do Ministério Público de Sorocaba, Wellington Veloso, ao lado do delegado do Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado (Gaeco), Wilson Negrão, e do porta-voz da Polícia Militar, o tenente do 40º Batalhão (Votorantim), Fábio Haro, divulgou a prisão de três homens acusados por envolvimento com uma quadrilha responsável por furto a caixas eletrônicos de agências bancárias da região. A importante ação conjunta descobriu que entre os suspeitos havia um policial militar, que forneceria ao bando informações privilegiadas sobre as ações da PM nas cidades que seriam atacadas.

O soldado Elton Ferreira do Nascimento, 39 anos; o vendedor Rogério Caetano de Araújo, de 21, vulgo “Ceará” ou “Bahia”; e o comerciante Fernando Alves de Almeida Junior, de 36, foram presos ontem pela manhã, em Boituva, depois que a 2ª Vara Criminal daquela cidade decretou prisão temporária dos três e liberou mandados de busca e apreensão na casa de cada um deles. O soldado Nascimento reside em Boituva, mas trabalhava no setor interno da PM em Iperó, há oito anos. 

No momento da prisão, o PM chegou a estranhar a ação policial, mas acabou confessando sua participação no furto ocorrido a duas agências bancárias de Iperó, no último dia 6. Ele será investigado agora por ser suspeito de participar também do furto praticado no dia 9 deste mês, na mesma cidade, a dois caixas eletrônicos; e ainda a dois bancos de Porto Feliz, no dia 1º. Com o trio, foram encontrados cerca de R$ 13 mil em dinheiro, com algumas notas chamuscadas, além de vários talões de cheques em nome de diferentes pessoas. Com o soldado, havia munições de uso restrito, por isso ele foi autuado em flagrante pela posse ilegal. 

Em depoimento, os três se referiram a uma quarta pessoa envolvida nos crimes. A identificação dela está prestes a ser revelada, informaram as autoridades. Conforme o promotor Veloso, que se referiu ao soldado como “mau policial”, ele pode estar ligado a outros crimes, pois tinha acesso às informações que mais ajudavam nas ações criminosas. “Acreditamos que cerca de dez pessoas integrem esse grupo criminoso, mas entre seis e oito é que agiam efetivamente e fortemente armadas. Era um grupo bem organizado e uma quadrilha perigosa”, revelou.

Segundo as polícias Civil e Militar e Ministério Público, a quadrilha costumava usar de falsa comunicação de crimes para despistar PMs da cidade que atacavam. Essa tática foi usada em Porto Feliz, quando um trote levou militares a um bairro rural da cidade enquanto bandidos assaltavam dois caixas eletrônicos de uma agência bancária. “Eles não assumiram esse crime, mas não descartamos a autoria deles”, afirmou o delegado Negrão. Para complementar com informações as investigações, agentes do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic), de São Paulo, estiveram na cidade e se inteiraram dos fatos.

PARTICIPAÇÃO DE DUAS MULHERES – Também prestaram depoimento ontem, na sede do Gaeco, duas mulheres que teriam envolvimento com Almeida e Araújo. Com uma delas foram encontradas várias notas em dinheiro, entre elas algumas chamuscadas; e também uma porção de maconha. Elas foram detidas em Boituva, onde a portadora do entorpecente será indiciada. Ao final dos esclarecimentos elas foram liberadas.

PRESOS POR CINCO DIAS – Recolhido ao Presídio Militar Romão Gomes, o soldado Nascimento permanecerá detido pelos próximos cinco dias. Porém, conforme o promotor e o delegado, mais cinco dias de reclusão podem ser solicitados à Justiça caso as investigações não tenham sido concluídas até então. 

Dos três presos ontem, apenas Almeida tinha antecedente criminal, por violação de direitos autorais. Ele e Araújo estão presos na cadeia de São Roque. O trio vai responder por formação de quadrilha armada e furto, na Justiça Civil, e o soldado, ainda por furto, na Justiça Militar.


Operação especial no Centro resulta na apreensão de 35 máquinas caça-níqueis

As polícias Militar e Civil, a Guarda Civil Municipal (GCM) e o setor de fiscalização da Prefeitura trabalharam em conjunto durante uma operação especial, ontem, na região central da cidade. Foram feitas fiscalizações e abordagens e flagrantes de crimes, que renderam a prisão de um homem, a detenção de dois adolescentes e a apreensão de 35 máquinas caça-níqueis.

Agentes civis, militares e fiscais públicos fiscalizaram 16 estabelecimentos comerciais, interditaram três, encontraram um fechado e outro em reforma. De acordo com tenente PM Calazans, dois adolescentes foram detidos por militares do Canil após furto de uma moto; e 35 máquinas caça-níqueis foram apreendidas num estabelecimento da rua Aparecida. No local havia cinco apostadores e um responsável.

Já a GCM e a fiscalização apreenderam cerca de mil mídias piratas e prenderam um homem acusado por tentativa de roubo, ocorrido próximo ao terminal de ônibus Santo Antônio. Segundo o comandante da GCM, Benedito Zanin, o homem de 32 anos foi preso por uma equipe participante da operação, após tentar roubar o telefone celular de uma adolescente.

A garota foi surpreendida por Marcos José Divino, que mencionou estar armado e exigiu o telefone. Ela gritou e várias pessoas que estavam próximas partiram para cima do homem, mas o linchamento foi impedido pelos guardas civis, que o levaram para o plantão policial. Divino já tinha passagem por tráfico de drogas e roubo, e havia cumprido dez anos de detenção.


Corpo do empresário Marcos Matsunaga é exumado

Peritos do Instituto Médico Legal (IML), da zona oeste de São Paulo, exumaram ontem o corpo do empresário Marcos Matsunaga, diretor do grupo Yoki, morto no ano passado. A exumação é um pedido da defesa da ré, Elize Matsunaga, que matou e esquartejou o marido e deixou partes do corpo em vários locais da Grande São Paulo. O novo laudo pericial deve ficar pronto em dez dias.

O crime aconteceu em 19 de maio de 2012 e Elize está presa preventivamente. O objetivo é constatar o exato momento da morte do empresário. O primeiro laudo pericial, produzido no ano passado, atesta que Marcos ainda estava vivo quando foi decapitado. 

A defesa contesta esse documento e afirma que o empresário morreu por disparo de arma de fogo e só depois foi esquartejado. A advogada Roselle Adriane Soglio, defensora da ré, argumenta que o novo laudo mostrará que Elize fala a verdade ao dizer que Marcos morreu pelo disparo da arma de fogo. Consequentemente, continua a advogada, o resultado deve derrubar pelo menos uma das qualificadoras da acusação de homicídio (uso de meio cruel). "Vamos brigar pela menor pena possível", disse Roselle.

A acusação de homicídio contra a acusada contém mais duas qualificadoras: motivo torpe (movido por dinheiro) e uso de recurso que impossibilitou a defesa da vítima, as quais os advogados da vítima também tentarão derrubar. "Elize reagiu a uma injusta agressão do Marcos. Chegou uma hora em que ela não aguentou tanta humilhação", disse Roselle. 


Apaixonado, aluno mata professora a facadas em SP

Um aluno de 33 anos é acusado por assassinar a professora de 27 anos por não ser correspondido na paixão que sentia por ela. Thomas Hiroshi Haraguti invadiu a sala dos professores na noite de segunda-feira e matou a docente, Simone Lima, com golpes de faca. Horas depois, já na madrugada de ontem, ele foi preso numa mata em Itirapina, cidade paulista onde ocorreu o crime.

Câmeras de segurança da Escola Estadual “Professor Joaquim de Toledo Camargo”, localizada no centro da cidade, flagraram o momento em que o rapaz chegou e entrou pela porta da frente trajando um casaco preto. Ele foi direto à sala dos professores onde Simone estava ao lado de dois outros docentes. Segundo narraram, o acusado empurrou um deles e partiu para cima da mulher, que foi atingida com sete golpes.

Em seguida, Haraguti saiu apressado da escola deixando cair a capa da faca e um celular. Uma viatura do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionada e socorreu a professora ao Hospital Municipal São José, onde ela já chegou sem vida. Enquanto isso, a polícia iniciava uma busca pelo suspeito, que fugiu entrando em um terreno perto da represa do Broa, na região.

Policiais de Rio Claro ajudaram nas buscas e contaram com o apoio de cães farejadores. O acusado, que era estudante do EJA (Educação de Jovens e Adultos), foi localizado na madrugada tentando se esconder deitado na mata ao lado da rodovia Ayrton Senna. Ele foi encaminhado à delegacia de Itirapina, onde foi autuado em flagrante por homicídio. Em seguida, Haraguti foi transferido para uma cadeia da região por motivo de segurança.

À polícia, Haraguti confessou o assassinato de imediato e sem demonstrar arrependimento. Policiais que atenderam à ocorrência relataram que ele afirmou estar revoltado por não ter o seu amor correspondido pela professora. Na escola, alunos confirmaram que ele realmente dizia gostar dela e teria chegado a pedi-la em namoro, ouvindo a recusa. Na ocasião, teria sido alvo de brincadeiras por parte de colegas, o que somente aumentou a sua raiva.

SUBSTITUTA – O crime aconteceu pouco antes das 19 horas, quando os professores se preparavam para as aulas do noturno. A escola tem 450 alunos e a professora morava com a irmã em Itirapina, mas havia se formado em São Carlos (SP). Ela lecionava no local como professora substituta há cerca de três anos. Já o assassino vivia com a mãe e o padrasto e teria envolvimento com drogas. Ao ser preso, Haraguti tinha dois estiletes e a faca usada no crime, cuja lâmina mediu 24 centímetros.

As aulas na unidade escolar foram suspensas até esta quinta-feira (14). O crime chocou a cidade de 14 mil habitantes. Em nota, a Secretaria Estadual da Educação informou que prestará apoio aos familiares da professora e à comunidade escolar. E afirma que as imagens gravadas pelo sistema de videomonitoramento da escola já foram entregues à polícia para auxiliar na investigação do caso.
Fonte : Diário de Sorocaba

0 comentários:

Obrigado pelo seu Comentario, seja bem vindo !

Postagem mais recente Página inicial Postagem mais antiga