Nota sobre o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo

13:18 Radio Ideal FM 0 Comentarios



REFLEXÃO
A inveja nos faz capazes de encontrar os motivos mais terríveis para condenar alguém que pratica o bem. Com Jesus não foi diferente.Os mestres da Lei viam tudo o que Jesus fazia e não podiam negar os fatos, mas quando deveriam aderir à proposta de Jesus, a inveja tomou conta dos seus corações. Como o poder de Jesus não podia ser contestado, resolveram contestar a origem de tal poder, afirmando que este não era a manifestação de uma realidade divina, e sim diabólica, atribuindo a Jesus o que de fato era a origem dos seus próprios pensamentos, uma vez que negavam como divina a ação do próprio Espírito Santo, e isso sim, é algo diabólico.
COMEMORAÇÕES
Ordenação Episcopal
  • Dom Paulo Antonino Mascarenhas Roxo, OPraem, Bispo Emérito de Mogi das Cruzes - SP
  • Dom Nei Paulo Moretto, Bispo Emérito de Caxias do Sul - RS
NOTÍCIAS
O incêndio ocorrido em uma casa noturna da cidade de Santa Maria (RS) na madrugada deste domingo, 27 de janeiro, matou 231 pessoas e pelo menos 121 feridas, 80 delas em estado grave. O socorro às vítimas está sendo realizado em hospitais da cidade e também da capital, Porto Alegre. Dom Orani João Tempesta, arcebispo do Rio de Janeiro, enviou mensagem ao arcebispo de Santa Maria, dom Hélio Adelar Rupert, recordando que os jovens cariocas realizaram uma vigília na Catedral em que rezaram pelos falecidos, familiares e amigos das vítimas. “Nossos corações estão abalados com essa grande tragédia (...) que ceifou a vida de inúmeros jovens dessa cidade, em especial, dos estudantes da Universidade Federal de Santa Maria”.Já o cardeal arcebispo de São Paulo, dom Odilo Pedro Scherer, pediu ao clero de sua Arquidiocese que celebrem missas em intenção das vítimas do incêndio. Em sua nota de pesar, expressou sua solidariedade e recordou que “a tristeza aumenta com a constatação de que a tragédia foi consequência de uma série de erros e omissões, certamente evitáveis, se tivessem sido observadas as normas de segurança prescritas”.O bispo auxiliar de Porto Alegre, dom Jaime Spengler, que já atuou como referencial para a Juventude no Regional Sul 3 da CNBB, destinou mensagem aos familiares dos jovens falecidos. “Somos atingidos por sentimentos de dor e tristeza. Dor pela vida de tantos jovens; tristeza pelas famílias e amigos destes jovens. Por quê? Resta-nos neste instante o silêncio respeitoso; e, sobretudo, a prece solidária”. Dom Walmor Oliveira de Azevedo, arcebispo de Belo Horizonte (MG), também disse, por meio de nota, estar unido em oração neste momento. "Que Nossa Senhora da Piedade cubra com seu manto de amor os pais e familiares destes jovens, nesse momento de dor e sofrimento enchendo os corações de esperança e fé". A Comissão Episcopal para a Juventude da CNBB também emitiu Nota de solidariedade:
Ao nosso irmão Bispo Dom Hélio Adelar Rupert e à Igreja de Santa Maria (RS),
às famílias que choram os filhos mortos na tragédia,
aos jovens e às jovens que acreditam na vida e sonham com a felicidade.

Estamos todos atônitos! Sentimentos de dor e impotência se misturam e nos deixam confusos! Justamente no ano em que a Igreja do Brasil celebra a Juventude, como foco de suas atenções com diversos acontecimentos a seu favor, presenciamos esta tragédia.
Nós, que formamos a Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB, queremos dizer que estamos com vocês nesta hora em que tudo parece perder sentido e a realidade só nos mostra morte e sofrimento. Não temos palavras humanas de consolação; mas nossas convicções de fé devem encontrar espaço especial neste momento para continuar sustentando a caminhada. É o próprio Jesus quem nos diz: “Não se perturbe o vosso coração. Tendes fé em Deus, tende fé em mim também. Na casa de meu Pai há muitas moradas [...] Vou preparar um lugar para vós [...] a fim de que onde eu estiver estejais também vós.” (Jo 14, 1-3).
Há poucas semanas a juventude de Santa Maria acolheu com entusiasmo e fé a Cruz da Jornada Mundial da Juventude: ninguém podia imaginar que pouco tempo depois vocês – e nós todos do Brasil! – estariam vivendo esta incompreensível experiência de dor. Sim, a morte é e permanece um mistério, sobretudo quando atinge os projetos e sonhos de tantos jovens, a quem a Igreja tem se dedicado com esmero.
Esforcemo-nos por colocar esta cruz na Cruz de Cristo, e vida nova surgirá, garantida por Aquele que não nos abandonou, principalmente no momento do mistério do sofrimento e da morte! E contemplemos aos pés daquela Sagrada Cruz a presença consoladora de sua Mãe, a Santa Maria! Não é para menos que o papa João Paulo II quis que o Ícone de Nossa Senhora acompanhasse a Cruz peregrina da Jornada Mundial da Juventude! Maria, que sabe a dor da perda de um filho, console todas as famílias que acabaram de perder seus filhos e filhas.
Rezamos por vocês e com vocês para poderem enfrentar e superar este momento. Que este acontecimento provoque, também, em toda sociedade e na Igreja um sério questionamento, se, realmente, estamos acreditando na juventude, apostando nela e defendendo sua vida. Projetos pastorais, políticas públicas, iniciativas populares necessitam estar mais voltadas às novas gerações. Proteger e defender a vida sempre, em qualquer lugar é testemunhar a fé: “Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, mesmo que morra, viverá.” (Jo 11,25).
Comissão Episcopal Pastoral para Juventude – CNBB

A Secretaria de Estado do Vaticano divulgou na manhã desta segunda, 28 de janeiro, o telegrama enviado pelo Papa ao arcebispo de Santa Maria, dom Hélio Adelar Rubert, expressando seu pesar pela tragédia ocorrida na cidade universitária. No incêndio da boate ‘Kiss’ morreram 232 jovens e 80 estão hospitalizados em estado grave.
“Consternado pela trágica morte de centenas de jovens em um incêndio em Santa Maria, o Sumo Pontífice pede a Vossa Excelência que transmita às famílias das vítimas suas condolências e sua participação na dor de todos os enlutados. Ao mesmo tempo em que confia a Deus Pai de misericórdia os falecidos, o Santo Padre pede ao céu o conforto e restabelecimento para os feridos, coragem e a consolação da esperança cristã para todos atingidos pela tragédia e envia, a quantos estão em sofrimento e ao mesmo procuram remediá-lo, uma propiciadora bênção apostólica”.
O telegrama de Bento XVI é assinado pelo cardeal Tarcísio Bertone, secretário de Estado de Sua Santidade.

A presidência da CNBB que neste domingo, 27 de janeiro, se manifestou  junto com o arcebispo de Santa Maria (RS), dom Hélio Adelar Rupert, diante do incêndio trágico que colheu a vida de centenas de jovens, emitiu, hoje, segunda-feira, 28 de janeiro, Nota Oficial de solidariedade às famílias e ao povo de Santa Maria.
Leia a Nota:

Nota de Solidariedade às famílias das vítimas e ao povo de Santa Maria


Acompanhamos com dor e solidariedade, desde a madrugada do domingo, o momento de profundo sofrimento vivido pelos feridos e pelas famílias dos que perderam centenas de filhos na tragédia do incêndio em Santa Maria (RS). O Brasil está de luto e as comunidades de fé estão unidas em oração. Deus conduza a todos, nesta hora, para oferecer, aos mortos, dignidade e ambiente de reverência, aos pais e familiares, amparo e assistência, e aos feridos, todo o apoio e tratamento ágil e eficiente.
Unimo-nos ao arcebispo, dom Hélio Adelar Rupert, ao clero e ao povo da arquidiocese de Santa Maria. A Palavra de Deus nos oferece luz para esse momento: “somos afligidos de todos os lados, mas não vencidos pela angustia; postos em apuros, mas não desesperançados; perseguidos, mas não desamparados; derrubados, mas não aniquilados; por toda parte e sempre levamos em nosso corpo o morrer de Jesus, para que também a vida de Jesus se manifeste em nossa existência mortal ( 2 Cor 4, 8-9).
A consciência cristã nos leva a manifestar também nosso apoio aos homens e mulheres de boa vontade que estão oferecendo ajuda junto às famílias e aos feridos e aos responsáveis pelo poder público que estão tomando as providências para o encaminhamento e solução dos problemas desse momento de aflição. É momento de união e de solidariedade! A concreta participação de colaboração, o respeitoso silêncio e a oração movida pela fé nos faz reconhecer, mais uma vez, que somos todos membros de uma única família que sofre pela perda de tantos jovens, filhas e filhos queridos.


Cardeal Raymundo Damasceno Assis
Arcebispo de Aparecida (SP) e presidente da CNBB
José Belisário da Silva
Arcebispo de São Luis (MA) e vice-presidente da CNBB
Leonardo Ulrich Steiner
Bispo auxiliar de Brasília e secretário geral da CNBB

Durante o último final de semana, o Setor Universidades da Comissão Episcopal Pastoral para a Cultura e Educação da CNBB realizaram um encontro de planejamento anual em Salvador (BA), com a presença de dom Tarcísio Scaramussa, membro da comissão. Ao receber a notícia do acidente ocorrido com um grande número de universitários em uma boate na cidade de Santa Maria (RS), os participantes publicaram a nota a seguir: “Eu sou a ressureição e a vida. Quem crê em mim, ainda que tenha morrido, viverá.” (João 11, 25) Os colaboradores do Setor Universidades da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), reunidos na cidade de Salvador, Bahia, profundamente impactados com a tragédia ocorrida na manhã deste domingo na Boate Kiss, na cidade de Santa Maria, Rio Grande Sul, se solidarizam com as famílias dos universitários e manifestam com carinho e oração o desejo de que recebam o conforto de Deus neste momento tão difícil. Fraternalmente, Dom Tarcísio ScaramussaBispo Referencial do Setor Universidades da CNBB

A Comissão Episcopal Pastoral para o Serviço da Caridade da Justiça e da Paz, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, CNBB, manifesta-se por ocasião do Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo. A memória desta data reporta-nos ao assassinato dos profissionais do Ministério do Trabalho ocorrido no dia 28 de janeiro de 2004, durante uma fiscalização de denúncia sobre trabalho escravo na cidade de Unaí-MG. Infelizmente, o trabalho escravo ainda é uma realidade presente em muitas regiões do Brasil, não só no meio rural, mas também em atividades urbanas. A miséria, a impunidade e a ganância constituem-se em fatores geradores e mantenedores deste crime que violenta a dignidade humana. A Igreja Católica, ao longo dos anos, tem se empenhado para que esta prática seja definitivamente erradicada.  Recordamos o trabalho da Comissão Pastoral da Terra (CPT) e do Mutirão Pastoral de Superação do Trabalho Escravo, aliados aos esforços de outras pastorais e de tantos agentes de pastoral que procuram conscientizar a sociedade e denunciar os casos de trabalho escravo. Reconhecemos, contudo que é um processo difícil e lento. No ano de 2012 foram contabilizados 189 casos, com 2.723 trabalhadores libertados. Frente a esta realidade temos um longo caminho a percorrer até que acabe esta prática abominável. Esperamos que a Campanha da Fraternidade de 2014, que tratará do tema, contribua para maior conscientização, prevenção e denúncia desta atividade ilegal. Somos solidários com todas as vítimas, do campo e da cidade, bem como aos seus familiares. Agradecemos a todas as pessoas e instituições que têm se empenhado no combate ao trabalho escravo. Reiteramos o apelo ao Estado brasileiro para que se comprometa efetivamente na defesa e proteção das pessoas vitimadas e também dos que combatem este mal, e que crie políticas públicas que ataquem os fatores geradores: a miséria e a impunidade. O Documento de Aparecida afirma que a Igreja deve ser a advogada da justiça e a defensora dos pobres, diante das intoleráveis desigualdades sociais e econômicas (DAp 395). Proclamamos o inalienável valor da dignidade humana que transcende a qualquer atividade econômica, pois nela se encontra o Deus vivo, revelado em Jesus. Diante destas vidas fragilizadas testemunhamos a missão de discípulos missionários para que todos tenham vida em abundância. A Virgem Aparecida, “Mãe do Céu Morena”, nos conduza ao seu Filho Jesus Cristo Libertador. Dom Guilherme WerlangPresidente da Comissão Episcopal Pastoral parao serviço da Caridade, da Justiça e da Paz

Por ocasião da tragédia ocorrida em Santa Maria (RS) na madrugada do dia 26 para 27 de janeiro, que vitimou mais 232 jovens, a Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), publicou uma nota em solidariedade aos familiares e às vítimas.
Leia a nota na íntegra.
Brasília, 28 de janeiro de 2013.
Ao nosso irmão Bispo Dom Hélio Adelar Rupert e à Igreja de Santa Maria (RS),às famílias que choram os filhos mortos na tragédia,aos jovens e às jovens que acreditam na vida e sonham com a felicidade.
Estamos todos atônitos! Sentimentos de dor e impotência se misturam e nos deixam confusos! Justamente no ano em que a Igreja do Brasil celebra a Juventude, como foco de suas atenções com diversos acontecimentos a seu favor, presenciamos esta tragédia.
Nós, que formamos a Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB, queremos dizer que estamos com vocês nesta hora em que tudo parece perder sentido e a realidade só nos mostra morte e sofrimento. Não temos palavras humanas de consolação; mas nossas convicções de fé devem encontrar espaço especial neste momento para continuar sustentando a caminhada. É o próprio Jesus quem nos diz: “Não se perturbe o vosso coração. Tendes fé em Deus, tende fé em mim também. Na casa de meu Pai há muitas moradas [...] Vou preparar um lugar para vós [...] a fim de que onde eu estiver estejais também vós.” (Jo 14, 1-3).
Há poucas semanas a juventude de Santa Maria acolheu com entusiasmo e fé a Cruz da Jornada Mundial da Juventude: ninguém podia imaginar que pouco tempo depois vocês – e nós todos do Brasil! – estariam vivendo esta incompreensível experiência de dor. Sim, a morte é e permanece um mistério, sobretudo quando atinge os projetos e sonhos de tantos jovens, a quem a Igreja tem se dedicado com esmero.
Esforcemo-nos por colocar esta cruz na Cruz de Cristo, e vida nova surgirá, garantida por Aquele que não nos abandonou, principalmente no momento do mistério do sofrimento e da morte! E contemplemos aos pés daquela Sagrada Cruz a presença consoladora de sua Mãe, a Santa Maria! Não é para menos que o papa João Paulo II quis que o Ícone de Nossa Senhora acompanhasse a Cruz peregrina da Jornada Mundial da Juventude! Maria, que sabe a dor da perda de um filho, console todas as famílias que acabaram de perder seus filhos e filhas.
Rezamos por vocês e com vocês para poderem enfrentar e superar este momento. Que este acontecimento provoque, também, em toda sociedade e na Igreja um sério questionamento, se, realmente, estamos acreditando na juventude, apostando nela e defendendo sua vida. Projetos pastorais, políticas públicas, iniciativas populares necessitam estar mais voltadas às novas gerações. Proteger e defender a vida sempre, em qualquer lugar é testemunhar a fé: “Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, mesmo que morra, viverá.” (Jo 11,25).
Comissão Episcopal Pastoral para Juventude – CNBB

Está acontecendo desde o dia 20 de janeiro e vai até o dia 30, a primeira das duas etapas do IV Curso de Atualização Litúrgico-Musical, no Centro de Treinamento da arquidiocese de Feira de Santana (BA).
O curso conta com a presença de 30 participantes, de 9 dioceses do Regional Nordeste 3 da CNBB (Bahia e Sergipe), dentre eles: presbíteros, diácono e leigos.
Nesta etapa o assessor da Comissão de Liturgia trabalha a Eucaristia, que é o Sacramento central da vida da Igreja.De acordo com um dos membros da equipe de coordenação, padre Sidney, “o curso de atualização é sempre uma experiência de renovação da vida pessoal e pastoral”, falou.
Já Antônio, responsável pela música ritual explicou que “este curso é uma boa semente que, certamente, frutificará em nossas vidas de comunidade e em nosso jeito próprio (nordestino) de celebrar o Mistério Pascal de Cristo”, disse.

O cardeal dom Raymundo Damasceno Assis, presidente da CNBB, se une ao arcebispo de Santa Maria (RS), dom Hélio Adelar Rupert, que manifestou nesta manhã solidariedade às famílias das vítimas de um incêndio em uma casa noturna da cidade.

“Como Igreja de Santa Maria lastimamos este acidente e manifestamos a nossa solidariedade às famílias e a toda a sociedade. Não se perca a esperança: olhemos para Jesus Cristo, fonte da vida, o nosso Salvador. Oramos pelos falecidos e seus familiares e toda a sociedade que sofre esta tragédia”, afirmou dom Hélio.

O incêndio ocorreu durante a madrugada deste domingo, 27 de janeiro. Até o início da tarde de hoje, foi confirmada a morte de pelo menos 232 pessoas, de acordo com o Corpo de Bombeiros. O número total de vítimas ainda é incerto. Há centenas de feridos sendo atendidos em hospitais da cidade, e uma campanha pede doações de sangue. Entre as vítimas estão muitos estudantes da Universidade Federal de Santa Maria.

0 comentários:

Obrigado pelo seu Comentario, seja bem vindo !

Postagem mais recente Página inicial Postagem mais antiga