Dívida da Prefeitura já supera a casa dos 8 milhões de reais

11:30 Radio Ideal FM 1 Comentarios



Na contramão da Lei de Responsabilidade Fiscal, ex-prefeita contraiu dívidas, não pagou e, tampouco, deixou dinheiro para pagar, inclusive obrigações trabalhistas. Frota e equipamentos sucateados, obras paralisadas e arquivos apagados formam este cenário de descalabro no município de Boituva

  
Desde que solicitou a sua equipe de trabalho, em reunião realizada já nas primeiras horas de sua gestão, relatório sobre a situação de cada setor, problemas não param de aparecer para o prefeito recém-empossado de Boituva, Edson Marcusso. Relatórios preliminares dão conta de que, somente de restos à pagar, a dívida herdada pelo atual prefeito já superam as cifras dos 8,1 milhões de reais. Um valor que pode ser muito maior, se considerados o caos administrativo e os problemas de sucateamento de frotas e equipamentos que herdou de sua antecessora.
“A situação é preocupantemente grave”, lamenta Marcusso. Os primeiros problemas apontados o levaram a baixar decreto, determinando realização de auditoria externa, para que sejam apurados todos os indícios de irregularidades. “Todos os casos identificados, deverão ser auditados. Havendo constatação de supostas irregularidades, os relatórios serão encaminhados para análise e providências do Ministério Público, do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo e outros órgãos, sem prejuízo de eventual sindicância e propositura das ações competentes”, ressaltou o novo prefeito.
Muitos dos programas e investimentos que faríamos já nesta primeira etapa de governo serão prejudicados e, portanto, deverão ser adiados, até que se alcance o equilíbrio financeiro e se restabeleça a situação de caos administrativo. “Infelizmente, já repensamos, inclusive, a realização de festas e acontecimentos populares, tais como, o carnaval. A prioridade é restabelecer os serviços essenciais e o pagamento de salários dos servidores”, enfatizou o prefeito, ao lembrar que somente em salários e obrigações trabalhistas atrasadas, mais de 2,5 milhões de reais foram pagos nestes dez primeiros dias de sua gestão, sem recursos provisionados pela ex-prefeita (ver tabela).


Redução Cargos de Confiança
Além de disciplinar os procedimentos jurídicos, Marcusso também adotou uma série de medidas de austeridade que visam restabelecer o equilíbrio do quadro administrativo-financeiro da Prefeitura. Uma delas é a reestruturação administrativa, que está sendo preparada para ser encaminhada a Câmara, que reduzirá o número de secretarias, de 18 para 12. “Das doze secretarias que propomos, neste primeiro momento, estamos trabalhando apenas com sete secretários e um chefe de gabinete”, disse o prefeito.
Marcusso também reduzirá substancialmente o número de assessores em comissão e de livre provimento que, até 31 de dezembro de 2012, entre estagiários, agentes políticos comissionados ou de confiança lotados no Paço ou em órgãos municipais, somavam mais de 400 cargos. “Queremos formar um quadro capacitado, enxuto e preparado para oferecer serviços públicos de qualidade a população. Trata-se de compromisso que assumimos ainda na fase eleitoral, que buscaremos  por meio de concursos, conforme a necessidade e possibilidade financeira da prefeitura”, disse o prefeito.
Caso de Polícia
Obras paralisadas sem justificativas – como a do Paço Municipal, que se arrasta por mais de 2 anos e já consumiu mais meio milhão de reais dos cofres públicos –. Outras, recém-concluídas, como a do Posto de Saúde Central, que em menos de dois anos apresentam problemas de infiltrações. O sucateamento da frota e outros equipamentos completam este cenário de descalabro, com veículos aguardando peças em oficinas da região por muitos meses, quando não eram simplesmente deixados no pátio da garagem municipal, entregues as ferrugens e ao descaso. Frutos de uma gestão equivocada, espalhada por todos os cantos de Boituva, que estão sendo auditadas pela equipe do novo governo.
Dois casos chamaram a atenção porque viraram caso de polícia. O primeiro refere-se a distribuição de 225 aparelhos celulares e 18 modems de acesso a internet a servidores municipais pela ex-prefeita, sendo que vários aparelhos ainda estão desaparecidos. O outro refere-se ao sumiço de documentos dos arquivos e dos computadores, que tiveram conteúdo apagados da Secretaria Municipal de Esportes, Turismo e Cultura (SETEC). Ambos os casos estão sendo investigados pela Polícia Civil.
Os levantamentos prosseguem e os resultados serão devidamente informados e encaminhados a justiça. “Nenhuma informação será omitida, afinal de contas, Boituva não pode pagar o preço da irresponsabilidade”, garante o prefeito. “O momento exige doação e comprometimento de nossa equipe de trabalho, compreensão e apoio da população, das instituições, enfim, de cada cidadão boituvense. Os problemas são grandes, mas não são maiores que Boituva”, disse o prefeito.
Entrevista com o Prefeito Edson Marcusso - Prefeito Eleito de Boituva, entrevista feita pelo Locutor Tony Vieira.

Um comentário:

  1. esse henderson tá querendo ganhar dindin do edson haushausahsu

    ResponderExcluir

Obrigado pelo seu Comentario, seja bem vindo !

Postagem mais recente Página inicial Postagem mais antiga