Samanta Holtz quem é??? por Laury

21:04 Radio Ideal FM 0 Comentarios



Olá!! Como vão? Hoje vim trazer para vocês a entrevista que fiz com a Samanta Holtz, autora do livro O Pássaro. Aquela que tive uma leve vontade de matar, lembram? kkkk Ela está na campanha para lançar seu mais novo livro Quero Ser Beth Levitt (li os primeiros cinco capítulos e AMEI, daqui um tempo vou colocar a mini resenha aqui, ok?) e é uma fofa! Adorei a entrevista!!
A melhor parte é que a Samanta faz parte da minha lista pequena – mas cheia de conteúdo - de autores que já conheci pessoalmente. Ela estava lá na Bienal de SP, no estande da Novo Século – onde por acaso quase montei uma barraquinha e morei lá – e amei conhecê-la. Comprei meu livro autografado, tirei foto e gravei vídeo! \o/ Tudo muito lindo! Acho ela extremamente fofa. :D Maaas, agora é a vez de vocês conhecerem ela um pouco melhor. Espero que gostem!
- Acho que já deve ter lido a resenha e descoberto meus instintos assassinos, então antes de mais nada: Me perdoa? *-*
Hahaha!!! Laury, querida, claro que perdoo! Muitos leitores querem “me matar” quando leem determinados acontecimentos rs rs… mas, normalmente, como você, acabam me entendendo!!! (por via das dúvidas, fiz um seguro de vida… rs!)

- Sempre gostei de coisas antigas, amo filmes de época e tudo mais, mas o primeiro romance histórico que verdadeiramente li foi o seu (li alguns no colégio, mas nem conta, porque fui obrigada rsrs). Apesar de AMAR tudo isso, acho que se eu fosse escrever um livro não conseguiria fazer um de época. Como você chegou à conclusão de que era sobre isso que ia escrever?
Na verdade, não foi nada planejado. A história simplesmente “se formou sozinha” em minha cabeça, e eu orquestrei para que se transformasse em livro! Bem, tudo começou com minha paixão pela Idade Média. No colegial, quando o professor de História explicava sobre o Feudalismo (vassalos, suseranos, o sistema machista etc.), minha imaginação ia longe… eu imaginava como seria a vida de uma garota, nessa época, que fosse contra as convenções da sociedade. Ou que vivesse um amor proibido… dessa forma, Caroline nasceu lentamente e ficou ali, povoando meu imaginário. Aos poucos, outros personagens juntaram-se a ela… Filip, Bernardo, Elizabeth. Os ciganos foram o último elemento desse emaranhado. Quando percebi, o enredo de um livro havia se formado, quase sem que eu percebesse! Comecei a trabalhar nele e, em dois anos, tinha concluído “O Pássaro”.
Histórias antigas são realmente mais difíceis, pois envolvem muita pesquisa. O mais bonito delas, no entanto, é que os personagens “sofriam” mais para alcançarem seus sonhos e suas ambições, pois não contavam com muitas das facilidades que temos hoje – Internet, telefone, carro etc.!
- É difícil escolher o personagem que mais gostei. Tenho uns bons vários personagens prediletos e no final do livro meio que percebi que o personagem que mais gosta define sua personalidade, aí fiquei me roendo de curiosidade para saber qual o seu. Qual é? E não vale nem o Bernardo, nem a Caroline, ok? Kkkk
Ai, que maldade! A própria escritora está proibida de escolher os protagonistas! Hahahahah! Brincadeiras à parte, sabe que é interessante isso que você falou? Dava para montar um teste: “defina sua personalidade de acordo com seu personagem favorito de ‘O Pássaro’” rs (vou pensar seriamente nisso!). Bem… é realmente muito, muito difícil eu escolher um favorito. Você me colocou contra a parede, confesso! Uma das personagens que mais gosto é Antonelle, por ser a típica mulher submissa (a “Amélia” dos dias atuais) e, de repente, surpreender-nos e se transformar em uma das peças-chave do desfecho da história. Eu diria que ela é quase tão forte quanto Caroline, mas com algo a mais: ela soube aguentar as pancadas da vida em silêncio e agir na hora certa!
Pronto, pode definir minha personalidade :)  E o seu favorito, qual é???
- Caroline tem uma personalidade fortíssima. Ela foi inspirada em alguém ou simplesmente apareceu em sua mente para dar um “oi”? rsrs
Nasceu em minha cabeça, desse jeito! Teimosa, determinada, ousada e apaixonada. Não me baseei em ninguém que conheço, nem em outro personagem!
- A pergunta que não quer calar: Você tem uma irmã gêmea? Kkkk Quando olhei para a capa de O Pássaro pela primeira vez eu pensei “É a Samanta”, mas vi que você já disse que não é, então só pode ser a gêmea.
Pois é!!! Incrível como ouço essa pergunta de quase todo mundo (e, quem não pergunta, normalmente pensa): “É você a moça da capa?” rs… Realmente, não sou eu! A foto foi selecionada pela editora em um banco de imagens. Um amigo meu acabou encontrando a imagem original que compôs essa parte da moça, e sabe o que descobri? Que a modelo, originalmente, é LOIRA! Foi a equipe de criação da Novo Século que “tingiu” os cabelos dela de castanho, para que ela ficasse igual à Caroline!
- Samanta, você já leu Perdida? Ok, não é bem uma pergunta, mas sim um comentário que preciso fazer. Li Perdida, depois O Pássaro, morri de amores pelos dois. Mas agora que estou fazendo sua entrevista, estou tendo a mesma dificuldade que na resenha. As histórias simplesmente se misturam na minha mente. As duas são romances históricos, mas a única ligação é que começaram me deixando feliz e me fizeram terminar em lágrimas. Rsrs Bem, depois do big comentário, só queria matar a curiosidade, já leu? Se sim, também teve essa impressão?
Ainda não li este livro, mas entrou para os meus desejados após seus comentários super positivos J Vou ler, com certeza, e te dizer o que achei!
- Falando em Perdida… Você e a Carina Rissi deveriam ir presas! Criar homens perfeitos é um crime!! Céus, o que é o Bernardo? O que é aquele homem Samanta? Me explica! De onde ele veio? Adoraria uma copia de Natal, tem como não? *-*
Hahahahahaha vou inscrevê-la no “Official Team Bernardo”!!! Incrível como a mulherada AMA esse domador rs… Eu também sou apaixonada por ele! Aquele cara rústico, meio grosseiro, mas que acaba se revelando um verdadeiro cavalheiro nas horas mais inesperadas! (pausa para o suspiro!) Contudo, confesso que, romântica que sou, tenho uma queda fortíssima pelo Filip! Não consigo escolher entre os dois (que tarefa difícil dei à Caroline, tadinha!). Minhas leitoras se dividem entre Filip e Bernardo, e há uma leitora, a Stephanie Brito, que se apaixonou perdidamente por William, o irmão do Bernardo! Tanto, que até escreveu uma fanfic de “O Pássaro” centrada nele, acredita? É essa aqui: http://soescrevendomesmo.wordpress.com/category/a-flor/(realmente recomendo a leitura, a Stephanie escreve muito bem!)
- O passado é passado, mas existem muitos passados, se é que você me entende. Por que século 13?
Porque eu precisava usar esse contexto do Feudalismo (vassalos, senhores, extensões de terras etc). E, em minhas pesquisas, antes de começar a escrever, vi que essa era remetia lá aos anos mil cento e pouco, mil duzentos e pouco… levei um susto!!! Então, escolhi o século XIII, que, na verdade, foi o declínio do Feudalismo. Mas ainda era Feudalismo! Rs Se escrevesse um romance mais atual, precisaria ter outra época histórica como plano de fundo.
- Caroline tem a vida perfeita, mas ao mesmo tempo não tem. Se você fosse ela também iria querer a tão sonhada liberdade? Até onde iria por ela?
Sou muito sonhadora e batalho com afinco em nome dos meus sonhos. No entanto, não tenho a mesma “ousadia irrefreável” que Caroline tem, de ir contra tudo e todos e se jogar de cabeça em uma jornada, sem se importar com as consequências, caso tudo dê errado. Eu seria mais ponderada e menos “respondona”, sem dúvida. Em alguns momentos, agiria mais como Elizabeth, sua irmã, do que como Caroline!
[Pois bem pessoas, tento ao máximo não dar spoilers nem nas resenhas, nem nas entrevistas, mas esse foi inevitável, eu precisava perguntar ou morria. kkkk Então vamos ao nosso aviso enorme e florescente de spoiler. CUIDADO, ISSO É UM AVISO ENORME E FLORESCENTE DE SPOILER DO FINAL DO LIVRO!! Pergunta e resposta estão na cor branca, só selecione se você tiver certeza que quer ler. A PERGUNTA CONTA O FINAL!! ok? Depois não digam que não avisei. ]
- O Pássaro me deixou estressada por um dia todo, porque eu necessitava de voltar para casa e lê-lo. Quase morri e o final ficou martelando na minha cabeça por dias! Então para desencargo de consciência: não doeu nenhum pouco escrever o final? Desde o inicio era esse o fim que você planejava ou ele simplesmente foi nessa direção? Realmente era o único jeito?
Chorei litros escrevendo aquele fim! rs Acabei tomando a decisão sobre o que aconteceria mais ou menos no meio da história. Até lá, eu sabia tudo o que aconteceria até ¾ da história, mas ainda não havia decidido o fim. Com o desenrolar dos acontecimentos e novos detalhes se encaixando, feito um quebra-cabeças, percebi que eu tinha uma personagem forte demais para “simplesmente ser feliz para sempre”, como se nada de mal existisse no mundo! Ela merecia um final nobre, um final digno da guerreira que era. E, embora eu adorasse vê-la feliz, terminar o livro com um “E foram felizes para sempre” deixaria várias lacunas. A opção era fazê-los fugirem de novo, mas ficariam as perguntas: E o pai dela, simplesmente desistiu de persegui-los? E a descoberta do casal? E tudo o que ela lutou, sofreu e enfrentou, ela foi, voltou, foi, voltou, e simplesmente fugiu de novo? Simples assim? Acho que ficaria muito vago! Então, fiz um final que soa triste, quando acabamos de ler, mas acho que tem muito mais significado e revela muito mais a pessoa maravilhosa e generosa que Caroline era fazendo o que ela fez por quem amava!


- Já disse que acho você um amor de pessoa? Já achava no facebook e achei ainda mais na Bienal. Adorei te conhecer! E acho que você e alguns outros escritores que encontrei por lá são um exemplo a ser seguido, porque vocês são uns amores e dão atenção pra gente. *-* Mas enfim, por que decidiu ser escritora? Em que momento você disse “É isso que quero da vida!”? Tenho a impressão que você gosta muito disso, estou errada?
Obrigada, querida :)  Faço questão de tratá-los com o maior respeito e carinho, porque VOCÊS são uma peça fundamental nesse meu sonho realizado! Você acertou em cheio, eu AMO escrever, e estou vivendo um verdadeiro sonho ouvindo e lendo as opiniões das pessoas, sendo reconhecida por meu trabalho, recebendo elogios tão lindos! Criar histórias é minha paixão desde a infância. Aos sete anos, comecei criando minhas próprias histórias em quadrinhos (na época, meu sonho era trabalhar com o Maurício de Souza). Então, vieram os contos, poesias, reflexões… enfim, na adolescência, os romances!! Quando concluí o meu primeiro (Renascer de um Outono – não publicado), as pessoas começaram a insistir que eu devia procurar uma editora, pois gostavam muito. Eu achava algo muito distante da realidade, um sonho inatingível demais, mas acabei realmente empolgada com a ideia. Busco a publicação desde os meus 16 anos, mas sonho em viver como escritora desde muito pequena!!!
- Já leu Jane Austen? Ela escreveu sobre mulheres que iam contra a sociedade quando isso era considerado crime. Ainda que sob pseudônimo, ela teve uma coragem monumental. Escrever é seu sonho, você enfrentaria toda a sociedade e arriscaria sua vida para concretizá-lo?
Preciso ler urgentemente as obras da Jane Austen, pois não é a primeira vez que me falam dela (já fui até comparada com ela, em algumas resenhas, especialmente em relação a “Orgulho e Preconceito”). Se eu vivesse em uma época em que precisasse enfrentar a sociedade para poder escrever, e tivesse esse amor enorme pela escrita que hoje eu tenho, SEM DÚVIDAS, enfrentaria o que fosse preciso para colocar minhas ideias no papel! Amo tanto escrever que, na minha opinião, a melhor definição para esse sentimento foi feita por Clarice Lispector, quando um jornalista perguntou: “Por que você escreve?”… e ela devolveu: “Por que você bebe água?”.
- Ser escritor no Brasil não é fácil e qualquer pessoa que tem um mínimo de convívio com livro sabe disso, então como foi essa experiência para você? Como foi superar a historia do “autor brasileiro iniciante”?
Desde que “O Pássaro” foi lançado, minha vida mudou completamente! Eu não tinha Facebook, não tinha Twitter, não conhecia bulhufas sobre Blogs Literários! Fui conhecendo como esse universo funciona com o auxílio de queridas amigas (entre elas, a Rapha, do Equalize da Leitura e a Yara, do Ilusões Escritas, dentre outras!!!). Como autora iniciante, claro que a editora auxilia através da sua distribuição e comunicando algumas coisas sobre nós, nas redes sociais. No entanto, é o autor que vira seu próprio vendedor, seu próprio publicitário, seu relações públicas, seu promoter! Começo é começo em qualquer carreira, e não podemos achar que tudo cai do céu – ainda mais nesse mercado literário, em que “competimos” com gigantes como Nicholas Sparks, JK Rowling, Paulo Coelho etc.! Então, desde o instante em que assinei o contrato com a editora, coloquei uma ideia em minha cabeça: “vou dar o meu máximo para aproveitar essa porta que se abriu”. Eu me esforço de verdade para fazer com que o maior número de leitores potenciais conheça meu livro, controlo as resenhas que recebo, vejo como usar cada informação que chega até mim… faz parte da batalha! Quero muito que dê certo, quero viver dos meus livros. Se der certo ou se der errado, vou saber que a minha parte foi feita!
- Você já recebeu alguma critica péssima que tirou você dos eixos por dias?
Graças a Deus, não! Houve uma garota, no Skoob, que não gostou muito do final do meu livro. Ela criticou bastante, mas elogiou tanto a minha narrativa e a minha forma de conduzir a história que, no fim das contas, foi uma resenha mais positiva do que negativa! rs
- Você tem uma pessoa ou várias que lhe inspiram profundamente? Seja família, amigos ou outros escritores.
Tenho aquelas que chamo de “minhas duas fãs número um”, que são minha irmã mais nova (Tatiana) e minha tia (Vaniete). Desde os meus primeiros rabiscos, elas eram as primeiríssimas a ler, se apaixonar, se empolgar e insistir que eu tentasse publicar. Costumo dizer que elas acreditam mais em mim do que eu mesma… rs! E não tenho como designar uma delas a fã número 1. Então, elas dividem o posto!
- “O Pássaro” está pronto, “Quero Ser Beth Levitt” está pronto (tenho cinco capítulos que necessitam de ser lidos, mas eu não acho tempo :/ ) e em campanha para publicação (preciso fazer meu vídeo urgente!), mas e aí? Já tem outro projeto a caminho ou em desenvolvimento? (A partir desse momento você já conhece o blog e meu email, pensou em escrever um livro, já me avisa! Ok? *-*)
Sim, já estou escrevendo um novo romance! Ainda não posso divulgar muito a respeito dele, até porque o título está passível de mudança, mas a história já está bem desenvolvida. Tenho toda a ideia programada – começo, meio e fim – e já escrevi uma boa parte. Ano que vem, devo concluir! Outros projetos para o futuro próximo é revisar meus dois primeiros romances (“Renascer de um Outono” e “Corpo & Alma”), que já estão prontos, mas precisam de uma boa lapidação no texto, pois eu era muito nova quando os escrevi. E, claro, publicar “Quero ser Beth Levitt”. Há perspectivas muito boas, mas ainda não posso dizer… espero poder contar a vocês em breve, com a notícia da publicação!!! Torçam por mim, muito, muito e muito! O apoio de vocês tem me ajudado demais!
- E para terminar, qual foi a melhor e a pior parte de ser escritora para você até hoje?
A melhor parte são os meus leitores! O carinho, o contato, o apoio, a empolgação, a torcida, os elogios, os abraços! Sempre pensei que o “sim” de uma boa editora já seria a plena realização do meu sonho, mas eu estava errada. Era apenas a primeira pecinha desse enorme mosaico de sonhos… há muito, muito mais emoções depois do sonhado “sim”, e vocês são uma das peças mais importantes! Agora, a pior parte… caramba, eu não sei se existe uma parte ruim. Sinceramente, sonho com esse momento há tanto tempo que acho tudo lindo, até a correria, as filas demoradas no correio, a falta de tempo! Amo tudo o que envolve minha carreira de escritora! Especialmente os meus leitores :)
-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-
Antes de mais nada, o vídeo que gravei da Samanta na Bienal, onde ela apresenta o seu livro pra gente. :)
Lindo não? *-* Mas continuando… ESTOU EXTREMAMENTE MAGOADA COM VOCÊS! Fiz a promoção do mimo de O Pássaro, mas ninguém participou!! A única pessoa que comentou foi a Samanta, mas o premio não tem o minimo sentido de ser dado para ela, não acham? É surpresa e vocês não sabem o que é, mas só posso dizer que não dá certo. Essa é a primeira promoção do blog e um teste para uma outra que estou preparando faz um tempão, mas se nem essa deu certo, quem dirá a outra. Mas como sou uma pessoa legal, vou tentar uma última vez, ok? Para concorrer basta comentar na resenha de O Pássaro ou na entrevista. Terão até o final do mês e do ano (31/12/2012). Então PARTICPEM!!
Enfim, a Samanta é uma fofa, não é? Adoooro ela! Estou louca por novos livros e para matar a saudade pretendo ler a fanfic, que eu já até tinha visto antes de ler O Pássaro, mas esperei para ler o livro primeiro, obviamente. Ela realmente é muito bem comentada. :D
Bem, fiz poucos comentários, eu sei, mas acho que a entrevista já diz tudo, não acham? rsrs
MUUITO OBRIGADO SAMANTA POR SEU TEMPO, ATENÇÃO E EXTREMA FOFISSE! VOCÊ É UM AMOOR DE PESSOA E ESCRITORA! ADOREI!!

Gostaram?
Beijos!
Laury
fonte: http://maniacaporlivros.wordpress.com/2012/12/05/entrevista-samanta-holtz/

0 comentários:

Obrigado pelo seu Comentario, seja bem vindo !

Postagem mais recente Página inicial Postagem mais antiga