Caminhe para uma boa digestão

10:00 Radio Ideal FM 0 Comentarios


Dr. Fabio Ravaglia*
Em dezembro, comemorações de final de ano são frequentes. Muitas festas, almoços e jantares de confraternização são convites para cometer excessos na alimentação. As extravagâncias, tanto no cardápio quanto à mesa, não são apenas vilãs da boa forma. O corpo sofre com comidas muito engorduradas, condimentadas ou até com aquelas que não estamos acostumados a ingerir. As delícias da culinária apresentam mais apelo ao apetite, que exige uma quantidade muito maior de comida do que a necessária para alimentar o corpo. Com certeza é gostoso, mas… a sensação de mal estar não costuma tardar.
Andar a pé é uma maneira simples de ajudar a digestão e chega a reduzir o desconforto de sentir a barriga inchada, de gases ou da azia. Por ativar todo o metabolismo e, principalmente, promover o aumento do metabolismo no intestino, a caminhada faz tudo funcionar melhor. Para completar, a caminhada após a refeição ajuda a queimar algumas calorias. Portanto, nem pensar naquele cochilo após o almoço. Sedentarismo, então, não é bom para a saúde: melhor manter distância. Caminhar é uma maneira bastante natural de praticar uma atividade física de baixo impacto, valiosa para a saúde geral e o bem-estar.
Quando se anda o corpo recebe mais oxigênio, a mente descansa da rotina de trabalho e o sistema digestivo se beneficia com o movimento. O exercício aeróbico é a chave para ajudar a melhorar a digestão. Mesmo a atividade física leve, como a caminhada mais lenta, aumenta o fluxo de sangue nos órgãos. Ao trazer mais sangue, o trato gastrointestinal melhora seus resultados, com mais contrações e a produção de enzimas digestivas.
Para a digestão, é melhor andar antes ou após a refeição? Andar antes e depois melhora o aproveitamento dos alimentos. A caminhada antes da refeição ajuda a reduzir a gordura e o açúcar no sangue, cujas taxas sempre aumentam depois de comer. Os carboidratos e as proteínas são melhores aproveitadas quando o organismo faz o consumo trinta minutos após a ingestão, então, caminhar pode ajudar o corpo a usar melhor carboidratos e proteínas neste curto período de tempo. Após uma refeição leve, caminhar acelera a passagem do alimento pelo trato gastrointestinal, o que dificulta o surgimento da azia, até para aliviar os gases. A movimentação faz com que os gases se acomodem no intestino e promove a saída do excesso. Depois de comer, uma caminhada de apenas cinco ou dez minutos é satisfatória para ajudar a digerir os alimentos de uma pequena refeição. Não convém fazer uma atividade física demasiadamente rigorosa, pois é claro que a atividade metabólica se relaciona diretamente com a quantidade de exercício que se costuma fazer e com a quantidade de alimentos que ingerimos.
Cuidado com a indigestão! A caminhada rápida após uma grande refeição não é recomendada porque o desvio de sangue para outras partes do corpo pode afetar o funcionamento do aparelho digestivo. Se comer muito, aguarde cerca de uma hora antes de andar rapidamente. Quando se come muito, andar imediatamente após a refeição pode não fazer bem, chegando a provocar tonturas e até vômitos. Se achar que comeu muito, é melhor aguardar pelo menos vinte minutos antes de praticar uma caminhada leve. Lembro que a caminhada recomendada após a refeição é um exercício leve, mais um passeio, descontraído. Evite os exercícios aeróbicos vigorosos, como corrida, dança ou esportes coletivos.
O que devo comer antes de caminhar? A atividade física precisa de combustível. Pessoas que estão habituadas a praticar a caminhada como atividade física costumam se alimentar antes de sair para caminhar. A refeição deve ser leve e saudável, com frutas, verduras e legumes. Ingerir líquidos é conveniente para o corpo não sofrer com a desidratação.
Como incorporar a caminhada em seu dia a dia? Uma ou duas voltas no quarterão já representa um bom começo. O simples hábito de sair para jantar e estacionar o carro um pouco mais longe do restaurante; subir e descer escada ao invés de usar o elevador; dar uma volta no prédio, no jardim ou em um parque, são pequenas atitudes que representam um bom início e fazem aumentar a resistência física. Inclusive as tarefas domésticas após a refeição podem contar para ajudar a digestão. A caminhada reduz o inchaço do estômago e a prisão de ventre, por relaxar a musculatura, trazendo uma sensação de conforto. Dizem até que por promover o bom funcionamento do intestino, diminui o risco de desenvolver câncer.
Para obter um salto de qualidade na digestão, a caminhada leve costuma ser uma atividade física muito adequada. Ela contribui para a perda de peso por queimar mais calorias. Além de outros benefícios: reduz a depressão; ajuda a aumentar a força muscular; alivia a dor nas costas; ajuda a reduzir a hipertensão e a pressão alta; aumenta o colesterol bom; ajuda a diminuir a gordura corporal; ajuda a manter e aumentar a densidade óssea; reduz o risco de diabetes do tipo dois; aumenta o metabolismo; e aumenta a resistência imunológica. Comprovadamente, a caminhada regular ajuda a manter a saúde.
Caminhar costuma ser tão bom que é uma prática adotada como terapia em tratamento a doenças. Neste caso, siga sempre as recomendações do médico, que dirá a distância a ser percorrida e o tempo para a atividade. Em casos pós-cirúrgicos, o médico diz para andar no corredor do hospital e no geral fala: hoje é para ir até tal ponto e voltar para o quarto; amanhã pode ir e voltar duas vezes e assim por diante. A caminhada é recomendada no pós-parto, em diversas cirurgias e em exames médicos como a colonoscopia.
No geral, as atividades físicas aeróbicas como natação, corrida, ciclismo costumam ser benéficas para o funcionamento do aparelho digestivo, mas não convém praticá-las no momento que o corpo está fazendo a digestão. Certas posições de ioga são consideradas importantes para fortalecer os músculos do estômago, ajudando a aliviar a prisão de ventre. Há exercícios específicos a serem feitos de barriga vazia para fortalecer o estômago e melhorar o seu funcionamento. Ao constatar problemas digestivos convém procurar o médico. O especialista nesta área é o gastroenterologista. Aproveitando, procure uma dieta adequada, balanceada com fibras, proteínas, carboidratos e gorduras; evite frituras e bebidas gaseificadas. Não convém ingerir líquidos durante a refeição.
Fabio Ferraz do Amaral Ravaglia (CRM-SP 54.294 e RQE 11.990/89)

0 comentários:

Obrigado pelo seu Comentario, seja bem vindo !

Postagem mais recente Página inicial Postagem mais antiga