Controle da anemia-infecciosa-equina no Pantanal

10:18 Radio Ideal FM 0 Comentarios



No Pantanal, pecuaristas destacam as inúmeras vantagens em manter as propriedades livres da anemia-infecciosa-equina (AIE), doença considerada endêmica na região, como o melhor desempenho dos equídeos nos trabalhos de campo, além da forte valorização da equideocultura da região. Para falar sobre as técnicas adotadas pelos produtores para o controle da doença, o Prosa rural desta semana convidou a pesquisadora  da Embrapa Pantanal (Corumbá/MS), Márcia Furlan. Ela integra a equipe responsável pelo projeto que orienta os produtores sobre o controle desta anemia.
A anemia-infecciosa-equina é uma doença viral transmitida pelo sangue dos animais contaminados. A recomendação dos pesquisadores que atuam com a prevenção da AIE é evitar o contato de um equídeo com o sangue de outro equídeo, já que o sangue infectado é a principal forma de transmissão da enfermidade. Essa medida, além de evitar a disseminação da doença para o rebanho, previne o contágio por outras doenças que podem ser transmitidas pelo sangue infectado, como a tripanossomíase ou “mal de cadeiras”.
Na prática, os principais métodos de prevenção são: a utilização de agulhas hipodérmicas e seringas estéreis, preferencialmente descartáveis, o uso de esporas não pontiagudas e a higienização de freios ou de quaisquer outros utensílios que possa ter tido contato com o sangue do animal.
Outro aspecto importante a ser considerado nesta tecnologia é o descarte apropriado das agulhas após serem utilizadas, conforme orienta a pesquisadora Márcia Furlan: “ao descartar a seringa e a agulha utilizada do animal, você evita que o cavalo, o burro, a mula ou o jumento pegue o vírus da AIE”, explica.
Ela destaca, ainda, que é mais barato adquirir agulhas e seringas descartáveis do que perder um bom animal de comitiva para a doença. Para um descarte adequado, é importante que as agulhas utilizadas sejam novamente tampadas e que o conjunto de agulhas e seringas seja colocado em um recipiente de material resistente e bem fechado. Após a embalagem, o material deve ser levado a um depósito de lixo hospitalar.
Saiba mais sobre o controle da anemia-infecciosa-equina ouvindo o Prosa Rural desta semana, o programa de rádio da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O programa conta com o apoio do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.

0 comentários:

Obrigado pelo seu Comentario, seja bem vindo !

Postagem mais recente Página inicial Postagem mais antiga