Pequenos empreendedores podem aumentar vendas com internet O projeto 1º E-commerce do Sebrae disponibilizará uma loja virtual para que esses empresários possam vender os produtos online para todo o Brasil Daniel Lima, da

10:41 Radio Ideal FM 0 Comentarios


Os pequenos e os médios empreendedores poderão aumentar as vendas com a utilização da internet e o apoio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).  O projeto 1º E-commerce disponibilizará uma loja virtual para que esses empresários possam vender os produtos online.  De acordo com o Sebrae, o empresário terá a oportunidade de vender os produtos em todo o território nacional, sem a necessidade de ter filiais ou lojas em vários lugares.
E-commerce: o projeto é fruto de uma parceria entre o Sebrae e o MercadoLivre


O projeto do Sebrae é uma parceria com o MercadoLivre, empresa de tecnologia considerada líder em comércio eletrônico (e-commerce) na América Latina. O Sebrae garante que, em um só ambiente, os empresários poderão montar uma vitrine online e fazer transações, como pedidos de compra, pagamento e controle de vendas. O aplicativo permite que a loja virtual seja customizada, ou seja, o dono poderá fazer personalizações em quatro modelos de loja.
A utilização, porém, tem um custo, embora o Sebrae informe que, no primeiro momento, serão oferecidos três anúncios grátis na página principal do MercadoLivre e bônus de R$ 250 para anunciar o produto por meio de links patrocinados [que levam às páginas de anunciantes]. Há ainda a possibilidade de integração da loja com a rede social Facebook.
O Sebrae informou ainda que o serviço de criação da página é gratuito, mas a cada venda concretizada serão cobrados 4,99% sobre o valor pago pelo cliente, referentes aos custos de transações financeiras. Os pagamentos poderão ser feitos por meio de cartões de crédito e boleto bancário, com certificação de segurança para dar garantia ao pequeno e médio empreendedor.
O Sebrae e o MercadoLivre garantem que os empresário interessados no projeto serão capacitados. O Sebrae também garante que não irá repassar recursos financeiros para o MercadoLivre.
“Acho legal o projeto. Acho muito interessante porque a saída é a internet mesmo. É o comércio virtual. Para determinada parte dos nossos associados, será uma boa oportunidade”, avalia Umbelino José de Sousa, presidente da Associação de Micro, Pequenos e Médios Empresários Varejistas de Valença do Piauí, no interior do estado.
O proprietária da Pizzaria Dom Bosco, em Brasília, Enildo Veríssimo, no ramo desde os anos 1960, gostou da ideia. Segundo ele, em conversas com outros empresários, tem notado que existe uma demanda cada vez maior para a venda de produtos na internet, principalmente quando os grandes já adotam a prática de vendas online. “Acho que irá beneficiar os pequenos comerciantes também. Em conversas, tenho percebido o interesse. E é muito interessante também para quem quer diversificar a oferta de produtos”, disse.
De acordo com o portal eCommerceOrg, o número de brasileiros com mais de 16 anos e acesso à internet, em janeiro deste ano, chegava a 79,9 milhões. O faturamento anual, em 2011, nesse tipo de transação, ficou em R$ 18,7 bilhões ante R$ 14,8 bilhões em 2010. Os dados não consideram a venda de automóveis, de passagens aéreas e os leilões online.

0 comentários:

Obrigado pelo seu Comentario, seja bem vindo !

Postagem mais recente Página inicial Postagem mais antiga