Paraquedismo: Boituva recebe Campeonato Brasileiro de Swoop

11:33 henderson barbosa 0 Comentarios


O Centro Nacional de Paraquedismo irá abrigar, entre os dias 7 e 10 de junho, em Boituva (SP), mais uma edição do Campeonato Brasileiro de Swoop, modalidade em que pilotos experientes realizam pousos de precisão utilizando velames de alta performance em uma piscina adaptada. O evento, que ocorrerá das 9h às 17h30, conta com o apoio inédito da Skydive Dubai, a maior área de saltos do mundo, e da Confederação Brasileira de Paraquedismo (CBPQ).

Ao reunir os principais atletas do Brasil e do mundo para a prática e transferência de novos conhecimentos nesta que é a modalidade do paraquedismo que mais cresce a nível internacional, o objetivo do campeonato é selecionar os melhores atletas para o próximo Campeonato Mundial que será realizado ano que vêm em Dubai, nos Emirados Árabes.

O evento contará com a participação de Marat Leiras, brasileiro radicado em Dubai e detentor de diversos títulos e recordes mundiais, entre eles a primeira colocação no US Nationals 2009 de Swoop. Deverão participar ainda nomes como Kalay Ribeiro Marques, ‎penta-campeão brasileiro de Swoop, Paulo Henrique Perini, Rogério Robotton, Fábio Pelayo, André Vilela, Eduardo Meirelles, Rene Simenauer e Flávio Almeida, num total estimado de cerca de 40 competidores nas categorias Pró e Intermediário.

Por exigir muito preparo técnico e ainda ser considerado perigoso, o swoop não pode ser praticado por qualquer paraquedista. Para minimizar o problema, o Comitê de Pilotagem de Velame da CBPQ já está elaborando uma cartilha específica com uma série de informações técnicas e instruções de pouso visando a melhorar o desempenho dos atletas e otimizar as informações divulgadas nas escolas de paraquedismo por todo o país. 

Entenda o Swoop

Modalidade com pouco mais de uma década no Brasil, no swoop os praticantes saltam do avião em baixas altitudes (normalmente a 5 mil pés) e logo abrem seus paraquedas especiais, menores e mais estreitos que os convencionais, para mergulharem em direção ao solo em velocidades que chegam a 100 quilômetros por hora. Ao se aproximarem de uma espécie de raia de piscina conhecida como pond, eles devem passar horizontalmente, a apenas alguns centímetros do chão, por esse "corredor aquático" cercado por bandeiras e sensores para cumprir, com a máxima excelência, as três disciplinas do campeonato: precisão, velocidade e distância.

Em "distância", o paraquedista deve obter o maior deslocamento horizontal até o primeiro contato com o chão. Na "velocidade", o atleta tem que passar pelo primeiro sensor e voar até o último o mais rápido possível. Em "precisão", por sua vez, o paraquedista tem de passar pelos sensores encostando o pé na água e pousar no final em uma zona determinada em terra firme.

Após deslizarem o pé na água até atingir o alvo final, ganha quem voar mais baixo, mais rápido e mais longe, incluindo quesitos como grau de dificuldade das manobras e estética dos pousos. Somente atletas experientes, com no mínimo mil saltos, são autorizados a participar deste tipo de competição. Como os competidores pousam na frente do público, uma das grandes vantagens da modalidade é seu forte apelo visual e a oportunidade de as pessoas apreciarem o esporte de perto. As outras competições em queda livre, como o free fly, por exemplo, só podem ser acompanhadas através de imagens registradas em vídeo ou foto.

"O swoop é um dos poucos esportes em que todos os atletas torcem para o bom desempenho de seus colegas que também estão competindo. O espectador acaba interagindo com os atletas e o ambiente do campeonato, inevitavelmente, acaba sendo muito amistoso e divertido. O segredo está em todos admirarem e aprenderem com o pouso de todos", aponta Eduardo Meirelles.

O swoop e outras modalidades do paraquedismo se tornaram populares no Oriente Médio após o príncipe Hamdan bin Mohammed bin Rashid al Maktoum ter se apaixonado pelo esporte. Conhecido como Fazza, o Sheik tem investido em sua área de saltos em Dubai uma quantia superior do que qualquer outra área ao redor do mundo já investiu, o que vêm atraindo os melhores aviões, equipamentos e instrutores de todas as modalidades para a região. O brasileiro Marat Leiras é o treinador oficial de Fazza na modalidade de pouso de alta performance.

0 comentários:

Obrigado pelo seu Comentario, seja bem vindo !

Postagem mais recente Página inicial Postagem mais antiga