Alternativas para tratar a hérnia de disco Dr. Fabio Ravaglia

09:28 Radio Ideal FM 0 Comentarios



Existe um mito forte de que tudo que envolve a coluna vertebral é muito difícil de ser tratado ou que mexer na coluna não é bom porque a pessoa fica entrevada; sem falar em histórias sobre perda de mobilidade. Muita coisa faz parte do passado. Dores nas costas são bastante frequentes, afetam 36% da população do Brasil, segundo estudo feito pela Escola Nacional de Saúde Pública, ligada à Fiocruz. Uma série de problemas afetam a coluna e um deles é a hérnia de disco, um mal capaz de impedir tarefas simples, que atinge cerca de 2% da população mundial. Quem sofre com hérnia de disco sabe que as dores são constantes. Mas há soluções.
Pesquisas constatam que 90% dos casos de dores nas costas são tratados com sucesso com fisioterapia, reeducação postural global, pilates, acupuntura, analgésicos e compressas, muitas vezes em tratamentos associados. Apenas 10% dos casos não se resolvem com tratamentos convencionais e são encaminhados para tratamentos cirúrgicos. A ortopedia avançou com técnicas diversificadas, inclusive com cirurgias menos invasivas, sem incisão ou corte, que vão diretamente à região acometida pela doença, sem interferir nas áreas sãs. Há anos, são usadas técnicas modernas como artroscopia (um tipo de endoscopia para avaliar ou solucionar uma série de doenças articulares de forma ambulatorial – sem internação –, com pouco desconforto pós-operatório), além das chamadas percutâneas ou nucleoplastias, que permitem tratamento com radiofrequência para alguns casos. Há também uma novidade: um navegador cirúrgico, que realiza a intervenção quase que sem sofrimento para o paciente, indicado para portadores de hérnias de disco contidas dentro do anel fibroso, que apresentam dor na região lombar ou cervical, com irradiação para os membros. A medicina dispõe cada vez mais de alternativas para os diferentes casos. Cirurgias de coluna são indicadas por médicos especialistas, neurocirurgião ou ortopedista.
Hérnia é um elemento que se desloca de sua cavidade original. No caso da hérnia discal, as dores aparecem quando o núcleo pulposo do disco, uma espécie de gelatina que fica entre as vértebras, sai do anel fibroso e vaza para além dos limites fisiológicos normais. O núcleo se projeta rumo ao canal da medula ou para os vãos laterais, região da coluna na qual ficam raízes nervosas. A hérnia pode ocorrer em qualquer uma das 33 vértebras e, dependendo da região da coluna, recebe o nome de cervical, dorsal ou lombar.
Diversos fatores podem causar uma hérnia de disco: má postura, sedentarismo, genética, obesidade, envelhecimento, traumas (esforços – atividade física sem supervisão ou carregar peso –, quedas, acidentes automobilísticos). Os sintomas são dor e rigidez na nuca, nas nádegas, nos ombros e na escápula, acompanhadas de formigamentos, alteração da sensibilidade e de reflexos da força. Em consequência, o paciente pode apresentar dificuldade de movimentos, como andar e flexionar a coluna. O diagnóstico é feito por meio de exame físico de raio X, de ressonância magnética e, às vezes, de tomografia computadorizada.

Fabio Ferraz do Amaral Ravaglia (CRM-SP 54.294 e RQE 11.990/89)
Cirurgião ortopedista e traumatologista, Fabio Ravaglia é presidente, desde 2005, do Instituto Ortopedia & Saúde (IOS) – organização não governamental que tem a missão de difundir informações sobre saúde e prevenção a doenças, principalmente aquelas associadas à terceira idade, e que organiza o Projeto Cidadania – Caminhadas com Segurança, evento mensal que incentiva a atividade física e conta com uma feira de saúde aberta à população para a realização de exames gratuitos. www.ortopediaesaude.org.br www.osso.org.br

0 comentários:

Obrigado pelo seu Comentario, seja bem vindo !

Postagem mais recente Página inicial Postagem mais antiga